um rascunho de meeeeses atras..

um rascunho de meeeeses atras..

o que eu posso te oferecer talvez nunca seja suficiente. talvez por mais que eu tente, dia após dia, hora após hora, segundo após segundo, ser aquela que mais importa para você – talvez, só talvez – nunca seja exatamente aquilo que você esteja procurando. Talvez meu sorriso não seja tão bonito quanto você tenha me falado que é, talvez meus olhos não brilhem como deveriam ao te ver. talvez eu nao te faça ter um arrepio constante na espinha quando sussurro algo no teu ouvido. meu maior medo é que talvez eu realmente faça tudo isso com você, e mesmo assim tenha alguém por aí que faça melhor, que faça com mais vontade, que faça com mais amor.

talvez o meu amor por você não seja suficiente. talvez o susto que levei ao saber que você nao seria mais meu não tenha sido tão forte quanto eu esperava, quanto você esperava, quanto todo mundo esperava. talvez essas minhas palavras sejam coladas em meu cérebro e de uma forma infantil fiquem comigo por mais anos e anos.

talvez você mereça, afinal, um lugar na minha memória. talvez o valor que meu cérebro te deu seja pouco comparado ao valor que meu coração quer te dar.. talvez eu sinta falta.. talvez não.. :/

Anúncios
verão..

verão..

faz falta.

de vez em quando ainda faz falta. eu vejo o mar, o sol, a areia, tudo me convidando para um dia maravilhoso e meu primeiro pensamento é “ele vai estar aí?”. eu me vejo selecionando cada parte da paisagem e conectando-a com algo em nosso passado. as vezes eu chego a fantasiar que em outra realidade você está aqui, me confortando.

incrível como a falta de alguém nos afeta da forma mais inusitada. posso estar em outro continente, em outro planeta, com mil pessoas ao redor me chamando para sair, e mesmo assim, naquele instante de decisão, minha primeira condição é você. quando estou mal, imagino como seria com você ao meu lado, e dessa forma eu paro de chorar. me pergunto se meu sorriso seria mais brilhante se fosse você o motivo dele. me pego pensando se minha pele seria mais macia se fosse você quem cuidasse dela. as vezes meus pensamentos me seguram e me vendam, e dessa forma me jogam no meio de uma auto-estrada, sem ação.

pensar em você é me paralisar. minha respiração se torna mais ofegante e meu corpo parece lutar com todas as forças para se manter no lugar. logo eu, que nunca desviei de meus princípios, que nunca imaginei experimentar algo assim com uma idade tão nova, que nunca sequer quis ter cada momento de alegria que você me deu e ainda dá. logo eu, que por mais inteligência e conhecimentos que possua, não consigo descrever com as palavras certas o que você me causa. caio de joelhos no chão e olho para cima. cada gota dessa chuva de verão me parece impregnada de palavras e imagens e sensações, todas que me ligam a você. e elas caem em mim como uma tempestade, uma tempestade furiosa, uma tempestade furiosa de você.

pergunto ao Deus, qualquer Deus, se isso um dia para, e levo o silêncio como algo ao meu favor. não quero escutar a resposta. eu sei que seu nome está tatuado em minha pele, e sua imagem esta congelada em meus olhos. não importa aonde eu esteja, como eu esteja, nunca vou esquecer de ti, nem mesmo conseguir fingir. é inútil lutar contra isso, e qualquer um consegue perceber..

I will read ashes for you, if you ask me.
I will look in the fire and tell you from the gray lashes
And out of the red and black tongues and stripes,
I will tell how fire comes
And how fire runs as far as the sea.

(Carl Sandburg)

 I need to build a wall around my thoughts. That seems to be the only way to talk to you without getting hurt by my own innocence. Without understanding that believing that you will actually behave as a human being in my presence is total bullshit.